Cássio ou Ricardo? Dupla aposta Hilux, ou R$ 118 mil, em resultado das eleições na Paraíba


João Batista Alves de Lira e Alex Aurélio Dias dos Santos apostaram um veículo Toyota Hilux , ou cento e dezoito mil, baseado em suas opções políticas no segundo turno das eleições estaduais.

Defensor da candidatura de Cássio Cunha Lima (PSDB), João Batista revelou que já ganhou R$ 12 mil no primeiro turno, quando apostou que Pedro Cunha Lima (PSDB) seria o deputado federal eleito mais votado no estado, agora, João quer ganhar R$ 118 mil, caso o tucano vença a disputa.

Alex Auréliano está na torcida pela vitória de Ricardo Coutinho (PSB), caso o socialista vença, ele vai ficar com o veículo.

A regra da aposta é que o vencedor será aquele que apostar no governador eleito. Registrada em cartório, os bens já estão sob custódia de um intermediador da aposta.

com Mais PB

Acusada de matar mulher em Monteiro é presa com arma do crime


 A Polícia Militar prendeu na tarde desta segunda-feira (20), a acusada de assassinar com golpes de faca a funcionária pública Maria José, conhecida como ‘Pingo’. A acusada, de 58 anos, estava escondida com a arma do crime em um matagal por trás de sua casa, no sítio Serra Branca, em Monteiro, local onde ocorreu o crime neste domingo (19).

A polícia revelou que a acusada estava se preparando para fugir para o município de Petrolandia-PE quando foi capturada após uma denúncia anônima. A mulher foi encaminhada para a Delegacia Regional de Monteiro e em seguida ficará a disposição da Justiça. O crime chocou os moradores da cidade de Monteiro, já que a vítima era bastante conhecida e querida por todos.

O crime

Segundo informações, “Pingo” bebia com algumas pessoas em um bar da comunidade rural quando iniciou uma discussão com outra mulher, que se utilizou de uma faca para deferir um golpe certeiro em seu pescoço, levando-a a óbito ainda no local. Uma unidade do SAMU foi acionada, mas, ao chegarem ao local à mesma já havia falecido.

Cariri Ligado

Estudantes do curso de Gestão Pública disputam etapa estadual do concurso sobre Plano de Negócio pelo Sebrae

 
Estudantes da disciplina de Empreendedorismo do Curso de Gestão Pública do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido participarão da segunda fase (etapa estadual) do concurso de Planos de Negócios promovido pelo Sebrae. Três equipes foram classificadas na primeira fase dentre sete concorrente.

Foram classificados em 1º lugar o plano de negócio “G3 Assessoria e Consultoria Técnica”, tendo na equipe os estudantes José Aragonês, Adriano Dário, Natanael Lopes, Flávio dos Santos e Maria Adriana; Em 2º lugar, o plano de negócio “Consultoria em Elaboração de Projetos para Captação de Recursos”, dos estudantes Brígida Xavier, José Arnaldo, João Farias e Jean Carlo, e, em 3º, o plano de negócio “Alpes Suíço” de Edite Galdino,  Kiara Reuba e Marcileide Guimarães.

As equipes participarão do curso de Elaboração de Plano de Negócio na Fundação Parque Tecnológico em Campina Grande, no período de 29 a 31 de outubro, e participarão da segunda fase do concurso com apresentação dos seus planos de negócio na Feira de Tecnologia de Campina Grande (FETECH 2014), que será realizada no período de 21ª 22 de novembro próximo, no Spazzio, quando estarão concorrendo ao prêmio de R$ 3 mil para o primeiro lugar, R$ 2 mil para o segundo lugar e R$ 1 mil para o terceiro lugar.

Os selecionados para a segunda fase  também concorrerão à incubação do negócio na Incubadora Tecnológica de Campina Grande - ITCG.

Prefeito de Parari anuncia que pagamento do Garantia Safra começa a ser efetuado para os agricultores do município


O Prefeito do Município de Parari, José Josemar (Josa) esteve em contato com a imprensa na manhã desta segunda-feira (20) para trazer mais uma boa notícia para os pararienses, principalmente os agricultores beneficiados no Programa Garantia Safra.

Segundo o prefeito, o município de Parari já se encontra na folha de pagamento do garantia safra e os agricultores já podem retirar os seus pagamentos de acordo com o calendário estabelecido.

“A liberação do pagamento do Garantia Safra para os agricultores do nosso município é a prova que nós efetuamos o pagamento da nossa contrapartida dentro do prazo estabelecido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, honrando o nosso compromisso em continuar trabalhando pelos nossos agricultores”, disse o prefeito.

Segundo o Secretário de Agricultura, Josias Moura na cidade de Parari estão aptos a receber o benefício 278 agricultores que podem procurar a Secretaria para tirar dúvidas e saber qual será o dia de cada pagamento que inclusive já foi iniciado.

O Prefeito Josa disse que foi à João Pessoa onde assinou o termo de adesão para o garantia safra do próximo ano e que as inscrições também já foram realizadas no sentido de garantir o benefício para o ano vindouro.

“Fico muito feliz em ver os agricultores de nossa cidade recebendo essa grande ajuda e desde já quero dizer que tomei todas as providências para garantir esse benefício para o próximo ano. Sei o que é passar por dificuldades de uma estiagem, pois sou de origem do campo e por isso nunca deixarei os nossos agricultores na mão”, destacou o prefeito Josa.

Prefeitura de São João do Cariri adquire veículos com recursos próprios para secretarias de Educação e Ação Social


A Prefeitura Municipal de São João do Cariri vem intensificando os investimentos na frota do município.

Em menos de dois anos de gestão, o prefeito Marcone Medeiros buscou parcerias e já conquistou quatro ônibus escolares, uma ambulância padrão, além de máquinas agrícolas para atuar no município.

A nova aquisição da Prefeitura Municipal de São João do Cariri vem através dos próprios recursos do Governo Municipal. O Prefeito Marcone Medeiros acaba de entregar mais dois veículos modelo Pálio 0KM.

Segundo Marcone Medeiros os veículos atuarão nas secretarias de Educação e Ação Social. “Estamos entregando mais dois veículos adquiridos com recursos próprios, além de vários outros carros e máquinas que já foram entregues em menos de dois anos dessa nossa gestão. Como já disse anteriormente, muito mais está por vir, porque nossa gestão é voltada exclusivamente para o povo de São João do Cariri e é por isso que estamos alcançando tantos avanços”, disse o gestor.

Paraíba Mix

Secretário discute plano para festividade de aniversário de 101 anos de Juazeirinho

 
Na semana passada, o Secretário Municipal de Cultura e Comunicação, Antônio Batista de Lima Neto (Toca), participou de reuniões onde foram tratados ajustes na programação do evento que comemorar o aniversário da cidade de Juazeirinho. Juazeirinho faz aniversário em 04 de Novembro.
 
Toca se reuniu com o Presidente da Câmara de Vereadores Joselito Cavalcanti, a Secretaria de Educação Simone Fernandes e Lucio Barros representante dos ciclistas de Juazeirinho. 
 
Na ocasião, foram apresentados inúmeras propostas e projetos, sobre tudo, referentes ao aniversário de Juazeirinho, provocando um verdadeiro entusiasmo nas autoridades da cidade. “Nossa meta é fazer a melhor festa possível para comemorar os 101 anos do município” pontificou Toca.

“Não nasci em berço de ouro e tive que lutar para conquistar as coisas”, diz Ricardo


“Minha mãe é costureira e criou 10 filhos. Todos estão encaminhados na vida, e um deles até virou governador do Estado”. Com este breve relato sobre sua família, o governador e candidato à reeleição Ricardo Coutinho (PSB) comparou sua trajetória de vida com a do candidato do PSDB. O discurso emocionado aconteceu em um grande comício na cidade de Esperança, no final da noite de sábado (19).

Ricardo fez questão de ressaltar que a disputa no pleito deste ano não é pessoal, mas uma comparação de trajetórias de vida e de história política. “Eu vim do povo, dos movimentos sociais. Não nasci em berço de ouro e tive que lugar para conquistar as coisas. Nunca tive nada de mão beijada. Minha mãe é costureira e criou 10 filhos, todos encaminhados e um deles virou até governador, um sinal de que o Estado está ficando mais democrático, mas popular”, disse.

Ao lado do deputado federal eleito Veneziano Vital (PMDB), do deputado estadual reeleito Adriano Galdino (PSB) e do ex-prefeito de Esperança, Nobinho (PSB), Ricardo conclamou as milhares de pessoas que assistiam ao comício a apoiar a sua candidatura e a da presidenta Dilma Rousseff (PT), impedindo que o Estado e o Brasil voltem a época do atraso.

“O que era melhor? Aquela Paraíba onde se estourava barragem e o governo não fazia nada? Aquela que não se fazia uma obra dentro de uma cidade importante como Esperança? Que não fazia obras pelo Cariri, pelo Curimataú, pelo Brejo? Ou é melhor essa Paraíba de hoje, que olha para os problemas de Estado de perto aberto? Tenho certeza que o povo fará a escolha certa, e poderemos fazer com que a Paraíba siga avançando cada vez mais”, finalizou.

Assessoria

Cássio diz que Ricardo cria estatísticas e números falsos da segurança


“Ricardo cria um mundo irreal que não é a do povo da Paraíba”. A afirmação é do candidato ao governo do Estado da Coligação A Vontade do Povo, Cássio Cunha Lima (PSDB), constatada durante debate promovido pelo TV Correio, neste domingo (19), entre os dois candidatos concorrentes neste segundo turno das eleições.

Em pergunta sobre a maior crise de segurança enfrentada pelo governo do Estado, que colocou em um ranking nefasto a Capital João Pessoa como uma das mais violentas do mundo, Ricardo Coutinho (PSB) tergiversou e disse que as informações eram falsas. Cássio mostrou que o seu adversário mostra número sem nenhum lastro ou base concreta.

As Armas que Ricardo disse que adquiriu para a Polícia Militar foram doadas pelo governo de São Paulo. No final de 2013 o Governo do Estado anunciou que estava adquirindo pistolas .40, para equipar a Polícia Militar, na realidade as pistolas foram doadas pelo governador Geraldo Alkimin (PSDB).

No seu futuro governo, Cássio disse que vai contratar policiais para colocar o efetivo nas ruas e ainda vai aproveitar o concurso que foi feito, chamar os habilitados e, se for preciso, fazer mais concursos para as Polícias Militar e Civil.

E mais: o candidato tucano anunciou que vai fazer monitoramento por câmeras com o Programa Olho Vivo, como também fazer polícia de gestão integrada. "Vamos colocar policiais nas ruas e não reduzir o efetivo, como aconteceu no atual governo por incompetência e ineficiência”

Assessoria

Arcebispo analisa discurso político dos candidatos ao governo da Paraíba

 
O arcebispo da Paraíba, dom Aldo Pagotto, analisou o discurso político dos candidatos ao governo do Estado, quanto ao que foi apresentado na mídia.

– No começo ficou um pouquinho de brigas, mas por outro lado deu sim com as entrevistas e guias eleitorais pra discutir programas, projetos. Que isso continue nas próximas eleições – avaliou ele.

Para o reverendo, o eleitorado brasileiro está mais consciente sobre a escolha de seu voto, mas considera importante o investimento na formação das pessoas e alerta sobre a quantidade de cidadãos que não votaram

com Paraibonline

Jovem sai da missa em João Pessoa e encontra carro suspenso por pedras e sem rodas


Um jovem teve um grande sustou na noite desse domingo (19) ao sair da missa em João Pessoa. De acordo com a Polícia Militar, bandidos levaram as quatro rodas do veículo dele, que estava estacionado em frente de um colégio particular, na praça da Independência, no bairro de Tambiá. O veículo estava aparado por pedras.

Segundo a PM, o rapaz ligou para o 190 informando que o veículo Onix Preto estava suspenso por pedras após os pneus terem sido levados por bandidos.

A vítima relatou aos policiais que estava assistido a missa numa igreja que fica dentro de um colégio particular e ao sair encontrou o carro dele suspenso por pedras de paralelepípedos.

O jovem foi orientado a prestar queixa no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp), em Manaíra. Ainda de acordo com a PM, um reboque foi chamado para retirar o automóvel do local. Os suspeitos ainda não foram identificados.

Portal Correio

Paraíba produz 600 toneladas de mel por ano; região do cariri está entre as produtoras


A produção de mel de abelha ainda resiste na Paraíba durante a seca devido às novas tecnologias social e de agroecologia. O Estado produz 600 toneladas de mel por ano e gera cerca de R$ 4 milhões, segundo a Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa) e o Banco do Nordeste. Os dados foram informados a cerca de 100 apicultores do Sertão paraibano nesta sexta-feira (17), durante o 8º Seminário de Apicultura e Meliponicultura, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPB) de Sousa.

O evento faz parte da 2º Feira de Inovação dos Pequenos Negócios do Sertão Paraibano (Inova Sertão), que foi encerrada neste último domingo (19). Conforme o gestor do projeto de Agricultura Irrigada do Sebrae em Sousa, Fabrício Vitorino, as maiores produções do produto estão na região do Sertão, onde o evento promove a capacitação dos apicultores. A região de Catolé do Rocha, que abrange a cidade e mais dois municípios, é a que mais produz mel na Paraíba. A região de Sousa, com quatro cidades, não fica atrás e Cajazeiras, com mais quatro municípios, também se destacam. Depois vêm as produções do Curimataú, Cariri e Litoral, respectivamente.

“Trabalhamos neste projeto do Sertão com nove associações e uma cooperativa, que já vende para os estados do Piauí, Rio Grande do Norte e Pernambuco. A luta contra a baixa produtividade tem o apoio das capacitações que destinamos aos grupos. Novas tecnologias estão se espalhando pelo Estado, como cultivar o mel com a agroecologia, ou seja, o plantio para a produção de pólen sem agrotóxico e a preservação do solo e da água”, esclareceu.

As tecnologias, geralmente, alcançam os apicultores até em suas propriedades rurais, quando há visitas técnicas. Mas o Seminário vem trazendo novidades a cada ano. Na 8ª edição, o evento apresentou quatro palestras e três clínicas tecnológicas. A primeira palestra foi “A apicultura e meliponicultura como agente de controle da degradação ambiental da Caatinga”, com o mestre do IFPB, Hugo Vieira.

Já a segunda explanação foi “Planejamento estratégico para a atividade apícola a frente dos desafios”, com o presidente da Unamel, José Xavier Leal Neto. Em seguida, o apicultor da cidade de Ceará Mirim no Rio Grande do Norte, Joaz Ferreira da Silva, mostrou a palestra “Diversificação da produção apícola”. A última palestra do Seminário foi com o apicultor e consultor da empresa Raad e Raad Consultoria, Robson Raad, chamada “Manejo para alta produtividade”. Para reforçar as explanações da manhã, no período da tarde, as clínicas oferecidas aos apicultores do Seminário foram “Apitoxina e Própolis”, “Manejo para alta produtividade” e “Programa alimentar apícola, focado em manutenção e produção de cera”.

Coletor – Joaz Ferreira contou como se deu a descoberta do Coletor de Apitoxina, o veneno da abelha. Ele produzia apenas mel em sua propriedade há seis anos. Achando pouco o que rendia a atividade, que girava em R$ 3 mil por ano, ele resolveu ir a uma visita de campo a Sergipe e Alagoas, promovida pelo Sebrae do seu Estado. “Foi aí que eu entendi que não dava para ficar produzindo só mel. Então, comecei a estudar. Já tinha lido sobre o método de retirada do veneno da abelha na Rússia, China e outros países, aí resolvi testar”, relembrou. Ele contou que a abelha guerreira, que busca o pólen, morre muito rápido por ferroar pessoas e animais para se defender. O ferrão da abelha fica na picada e elas não sobrevivem sem ele.

Muitas nem voltam ao apiário. Pesando em mantê-las vivas mais tempo, ele criou o aparelho no final de 2011, que é uma placa de plástico e aço, com eletrodos. A retirada do veneno é feita com um pequeno disparo elétrico, que deixa as guerreiras da colmeia irritadas, ferroando a placa, deixando o veneno, salvando o ferrão e o inseto. Com a tecnologia, que, por enquanto, só ele possui no Brasil, associada a outros produtos criados, como o favo com mel em compota, Joaz consegue faturar até R$ 50 mil por ano. Ele está difundindo o equipamento pelas palestras que ministra no país.

Quem quiser adquirir o Coletor, o apicultor vende o kit para a montagem por até R$ 1.600. A produtividade aumenta com o equipamento. O veneno coletado pelas placas também vira produto. Sem o Coletor, o apicultor disse que só se tirava um grama de apitoxina em 10 colmeias. “Com meu equipamento, consigo retirar essa quantidade de apenas uma colmeia mensalmente. Agora sou produtor de apitoxina também e já vendo para as indústrias farmacêuticas e de cosméticos”, falou.

Dilma e Aécio evitam ataques pessoais e privilegiam propostas de governo para País em debate


O debate deste domingo (19) na TV Record entre os candidatos à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), elevou o nível da discussão, deixou de lado os ataques pessoais dos últimos encontros e privilegiou as propostas de governo para os próximos quatro anos do País.

Os casos de corrupção na Petrobras, o comportamento da inflação do País e o programa de educação profissional do governo federal (Pronatec), porém, persistiram no debate. Sobre a Petrobras, Dilma Rousseff voltou a admitir que “há indícios de desvio de dinheiro, mas ninguém sabe quanto foi e quem foi”.

— Isso é muito importante porque a parte que o senhor devia me cumprimentar você esqueceu. Eu disse que eu ia investigar [...]. Sou a favor da punição, doa aquém doer. E sou contra arquivamento.

Em seguida, a presidente provocou Aécio ao dizer que supostos casos de corrupção do governo do PSDB nunca foram investigados e destacou que, em seu governo, mandou apurar as denúncias de desvio de dinheiro. Como resposta, Aécio falou de governança e criticou a postura de Dilma.

— Quero voltar a governança. Como essas coisas podiam acontecer de forma tão sistêmica? Isso é grave [...]. Mais uma vez a senhora não mandou investigar. Isso pode acontecer em alguns países, mas não no Brasil. Quem investiga são as instituições. São elas que investigam.

Em relação ao Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), uma das principais bandeiras da presidente para chegar à reeleição, Aécio disse que o projeto “não vem sendo administrado como deveria”.

— As pessoas se matriculam, saem alguns dias depois, mas continuam nas estatísticas de seu governo.

Poucos minutos antes, a presidente disse que sentia “orgulho” do programa, já que ergueu 218 escolas técnicas além das 214 construídas no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e disparou contra o tucano: “Vocês proibiram o governo federal de construir escolas técnicas, o que foi revogado pelo Lula”.

A declaração de Aécio sobre o Pronatec teve origem depois de reportagem do jornal Folha de S.Paulo deste domingo, que, com base em relatório da CGU (Controladoria-Geral da União), aponta falhas no acompanhamento dos alunos matriculados no programa.

Segundo a reportagem, não é possível precisar quantos são os estudantes desistentes e se o repasse de recursos continua sendo feito às instituições parceiras. Mais cedo, a presidente afirmou que o relatório mostra apenas que é preciso “aperfeiçoar a fiscalização”.

Considerações finais

Nas considerações finais, os candidatos destacaram que há dois projetos para governar o Brasil e cada um defendeu suas candidaturas. Dilma Rousseff, a primeira a falar, destacou o que fez pelo País e pediu o voto dos eleitores.

— Quero te dizer que nós estaremos juntos fazendo com que o Brasil cresça mais. Humildemente, eu peço seu voto.
Aécio Neves, que chegou a ser vaiado pela plateia antes de começar a falar, declarou que a atual presidente se contenta em comparar o presente com o passado e disse que sua proposta é pensar no futuro do País.  — Sou candidato para mudar de verdade o Brasil e não apenas em um slobgan. Assumo as responsabilidades de assumir essas mudanças.

Cássio e Ricardo focam em acusações e falam pouco de propostas no debate da TV Correio


Cássio Cunha Lima (PSDB) e Ricardo Coutinho (PSB) se encontraram para um debate apimentado na tarde deste domingo (19), transmitido ao vivo por todos os veículos do Sistema Correio de Comunicação.

Apesar das promessas dos dois de que o foco seriam as propostas, a maior parte das discussões ocorreu sob ataques e trocas de acusações.

No primeiro bloco, ambos se chamaram de “oportunista” e “incompetente” e falaram sobre transporte escolar, denúncias durante o período eleitoral e saúde das crianças.

Primeiro bloco:  Candidatos esquecem propostas e começam debate se acusando de 'oportunista' e 'incompetente'

Os candidatos a governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) e Ricardo Coutinho (PSB) minutos antes de começar o debate da TV Correio prometeram um confronto de propostas para o estado para Paraíba, mas no primeiro bloco o destaque foi para os pesados ataques de ambos. Em vários momentos o tucano chamou Ricardo Coutinho de oportunista, já o socialista taxou Cássio de incompetente.

Na primeira etapa do debate cada candidato fez três perguntas com temas livres. Ricardo Coutinho iniciou questionando a Cássio sobre a desapropriação de um terreno no Conde em 1997, no Litoral Sul, que hoje é usado pela iniciativa privada. Segundo o socialista na área deveria ter sido construído o distrito industrial da região. “Ricardo foge dos reais problemas da Paraíba. Ele vem falar de moralidade comprando comidas superfaturadas para a Granja Santana”, declarou Cássio. Ele disse que em seu governo foi gerado um recorde de empregos e que a desapropriação foi legal.

Em seguida Cássio perguntou a Ricardo como os paraibanos irão acreditar nas suas promessas, que segundo ele, não foram realizadas na atual gestão. Ricardo rebateu dizendo que a sociedade conhece a história dos dois e enumerou as ações de sua gestão como diferencial entre eles. “A Paraíba conhece minha vida”, disse.

Na segunda rodada de perguntas Ricardo Coutinho disse que em Uiraúna 13 crianças morreram em carro de pau de arara, que conforme ele afirmou, foi contratado na gestão de Cássio. O tucano chamou o adversário de oportunista e disse que ele estava se aproveitando de uma tragédia para “ganhar a eleição a qualquer custo”. Ricardo descontou taxando Cássio de “incompetente”. “Morreram lá as crianças e você mandou seus assessores no local da tragédia, mas depois não fez mais nada”, afirmou.

A pergunta seguinte de Cássio foi feita com base em denúncias apresentadas em seu guia: “é republicano usar programas do governo com fins eleitoreiros?”. Ricardo respondeu: “Vocês vejam que não tem nenhuma pergunta para fazer”.

Na outra pergunta de Ricardo Coutinho ele falou da “fila da morte” para criança cardiopatas que, segundo ele, existia na gestão do tucano, e questionou qual a opinião dele sobre o programa ‘Ciclo do Coração’. Para Cássio, se o projeto não for feito como foi “a terceirização fraudulenta do Hospital do Trauma” o ‘Ciclo do Coração’ “será mantido, assim como todos os programas que forem bons para o estado, mas com rigorosa fiscalização”.

Cássio fechou o primeiro bloco perguntando onde foram usados os recursos que liberados para atender as pessoas atingidas pela seca. Ricardo respondeu declarando que o tucano passou três anos sem investir “um centavo” na Secretária de Recursos Hídricos. Ele falou das adutoras que estão sendo construindo na atual gestão. “O dinheiro do estado eu não levo para casa e nem deixo ninguém levar”, disse.

Segundo bloco: Ricardo é chamado de mentiroso e Cássio é acusado de receber pensão ilegal

No segundo bloco do debate na TV Correio HD, os candidatos mantiveram a troca de acusações e não focaram, majoritariamente, nas propostas. O evento ocorre na tarde deste domingo (19), com transmissão ao vivo pela afiliada da Record na Paraíba, também pelas rádios da Rede Correio Sat e pelo Portal Correio.

Segundo as regras definidas anteriormente, Cássio Cunha Lima (PSDB) deu início à rodada de perguntas.

A Ricardo Coutinho (PSB), o tucano perguntou o que ele pretende fazer pela segurança, acusando-o de, durante a gestão, investir apenas R$ 3 mil na segurança do estado e fechar delegacias.

Ricardo negou o número e disse que investiu R$ 4 milhões no policiamento da Paraíba e que duplicou o número de delegacias, que, segundo ele, saíram de 10 para 20.
Na réplica, Cássio afirmou que vai contratar mais policiais, colocar a polícia na rua, políticas de monitoramento por câmeras e política de gestão integrada. Com a tréplica, Ricardo finalizou a rodada afirmando que a política de segurança no governo dele existe de verdade.

Na rodada seguinte, Ricardo perguntou a Cássio se ele vai devolver o supersalário de R$ 52 mil por mês, que seria ilegal. Cássio respondeu que não há ilegalidade no salário e que precisa recebê-lo para não enfrentar ações na justiça por pensão alimentícia aos filhos.

Na réplica, Ricardo afirmou que o Supremo Tribuna Federal determinou que há ilegalidade e que aguarda a autorização para cortar os supersalários no Estado. Cássio voltou a acusar Ricardo de superfaturamento durante a gestão.

Dando continuidade às perguntas, o tucano perguntou ao socialista o que ele pretende fazer pela educação. Ricardo respondeu que vai melhorar as condições de professores, aumentar o repasse de recursos e universalizar o ensino integral. Na réplica, Cássio disse que 230 escolas foram fechadas, inclusive o Caic, em João Pessoa. Ricardo contestou e disse que Cássio foi cassado por corrupção.

Dessa vez, Ricardo perguntou ao oponente o que ele pretende fazer para investir no armamento se for eleito. Cássio respondeu que os eleitores podem acompanhar números e valores no site dele e prometeu concursos para policiais e aumentar a segurança nas ruas. Na réplica, Ricardo falou que fez as convocações não feitas na gestão de Cássio e que trabalha pela segurança do estado. Cássio o chamou de oportunista e disse que a Paraíba vai mudar no domingo (26).

Na nova rodada, Cássio pediu explicações sobre denúncias de superfaturamento na Fundação de Ação Comunitária na compra de alimentos. Ricardo negou a acusação. Na réplica, Cássio disse que pretende apresentar propostas que vão transformar a Paraíba, como programa do pão e leite, que gerou renda durante a gestão dele. Ricardo o chamou de ator e que ele era repetitivo nas afirmações.

Na rodada final, Ricardo perguntou o que Cássio pretende fazer pela habitação na Paraíba. O tucano respondeu que o Cidade Madura é um programa eleitoreiro e disse que quitou mais de 55 mil casas no estado, falou ainda sobre o Bairro da Glória, em Campina Grande, criado para tirar comunidades carentes da favela da Cachoeira, e prometeu manter a parceira com o governo federal para o ‘Minha Casa, Minha Vida’.

Na réplica, Ricardo disse que em quatro anos fez muito mais pela moradia do que Cássio em sete, entregando 14 mil casas e com a construção de 12 mil. Cássio falou na tréplica, novamente, que quitou mais de 55 mil casas por meio do ‘A Casa é Sua’, além de ter reformado mais de 20 mil residências.

Terceiro bloco também foi de poucas propostas e muitos ataques entre os candidatos

O terceiro bloco começou com direito de reposta de 30 segundos para cada candidato solicitado durante o debate. Em seguida Ricardo Coutinho iniciou perguntando sobre a lei que prevê multa de 5 mil a 30 mil para o autor de comentários ofensivos a políticos, que segundo o socialista, foi defendida pelo tucano. Cássio falou que a lei é direcionada a “apenas empresas que são contratadas para desmoralizar candidaturas”. Em seguida ele apresentou proposta sobre transparência. “Vamos fazer os ‘dados abertos’ para sociedade acompanhar tudo”. Para Ricardo, o tucano fez um “atentado a liberdade de expressão”.

Na sua pergunta, Cássio disse que a Secretária de Educação comprou placas superfaturadas. Ricardo rebateu: “o senhor vive de superfaturamentos fantasiosos”. Para ele o tucano cria denúncias vazias, porque não traz dados para comprová-las. Ele disse também quando há desvio na gestão “pune e investiga e não coloca para debaixo do tapete”. Cássio disse que as ‘notas superfaturadas’ estão divulgas em seu site de campanha.

A pergunta seguinte tratou sobre ética. Ricardo questionou sobre os gastos com passagens aéreas e aluguel de avião para, segundo ele, resolver problemas que não eram ligados as atividades de governo. Cássio repeliu afirmando que o socialista comprou aeronaves desnecessárias para o estado e que o fretamento e passagens foram para compromissos do governo.

Em seguida Cássio perguntou novamente no debate se Ricardo está tendo uma postura republicana nesta campanha, que de acordo com ele, usa servidores obrigados nas atividades de ruas. “É preciso respeitar as pessoas, não há ninguém trabalhando a força na minha campanha”, respondeu Ricardo.

Em seguida, Ricardo Coutinho perguntou a Cássio quais foram as obras de mobilidade urbana feitas pelo tucano enquanto governador. Cássio disse que na época do seu governo a mobilidade urbana não era uma prioridade. Ele completou afirmando que “agora esse é um problema de estado devido ao aumento da frota” e que tem projeto para essa área em seu plano de governo atual. Ricardo destacou as obras que foram construídas para o setor em sua gestão.

Cássio foi o último a perguntar. Ele quis saber qual foi o investimento trazido para o estado para geração de emprego. Ricardo disse que Lula e a presidente Dilma Rousseff foram “bastante receptivos” aos projetos para serem construídos no estado. Ele disse que várias adutoras foram feitas em parceira com o Governo Federal. Cássio replicou afirmando que Ricardo não respondeu sua pergunta.

No último bloco, candidatos diminuem ritmo de acusações e mostram propostas

O debate entre os candidatos ao governo da Paraíba no segundo turno terminou com as considerações finais, agradecimentos e pedidos de votos. O vento ocorreu neste domingo (19) com transmissão simultânea em todos os veículos do Sistema Correio de Comunicação na Paraíba.

Cássio Cunha Lima (PSDB) agradeceu pela oportunidade e criticou o nível que Ricardo pôs na discussão. Ele disse que vai fazer mutirão da saúde e efetivar a parceria com o governo Federal, se Aécio for eleito, para trazer mais desenvolvimento para a Paraíba. Prometeu também trazer uma montadora de veículos para o estado.

Ricardo Coutinho (PSB) fechou com um trecho da Bíblia, no qual diz “conhecereis a verdade e a verdade vos liberatrá”. Ele agradeceu a todos e prometeu investir nos jovens, com projetos de intercâmbio para o exterior, ampliação do PBVest para que haja preparação para concurso público e fez promessas para o esporte, com a ideia de levar jovens os jovens esportistas da Paraíba para intercâmbios no exterior.

O debate na TV Correio HD ocorreu às 17h, para todo o estado e também pela internet. Nas redes sociais, o assunto ficou entre os mais comentados do Brasil.

Portal Correio