Ricardo ou Cássio, sem maioria absoluta na Assembleia, qualquer um que se eleja vai ter dificuldades na Casa, diz cientista político


Pela configuração da nova Assembleia Legislativa (AL) na Paraíba, nenhum dos dois candidatos ao governo estadual, Ricardo Coutinho (PSB) e Cássio Cunha Lima (PSDB) vão ter uma ‘vida fácil’ na Casa de Epitácio Pessoa.

De acordo com o cientista político, José Henrique Artigas, se as coligações eleitorais virarem coalizões, o tucano leva uma pequena vantagem num primeiro momento já que ele vai ter em torno de 18 parlamentares. Já Ricardo, se eleito e a aliança permanecer na AL, serão em torno de 17 deputados, como  a maioria é a metade mais um, portanto 19 parlamentares, todos os dois, terão dificuldade em conseguir uma maioria sólida. “Não será fácil a vida para nenhum dos dois”, aponta.

Contudo, o cientista explica que em outro ponto, o socialista é quem leva vantagem: a questão de que o PSB elegeu a maior bancada, com 5 deputados e pode ser privilegiado na indicação do presidente da Casa, que ‘de alguma forma interfere na agenda parlamentar’. Já o PSDB conseguiu quatro e vai ser dificil para Cássio impor uma agenda na AL.

Do ponto de vista político mais geral, para Artigas, Coutinho também está na frente pois está ao lado das duas outras maiores legendas no estado, o PT e o PMDB. Só o PMDB já é o maior partido do estado, com maior número de diretórios, mais bem distribuído no interior, com maior bancada federal. O PT é forte pq detem a presidência da República e a maior bancada no Congresso Nacional, além de controlar a prefeitura de João Pesso, que é o maior colégio eleitoral da Paraíba. “É mais fácil negociar com dois partidos grandes, que com 13 pequenos”, ressalta.

Para o cientista, Ricardo pode vir a ter a capacidade de governo mais efetiva que Cássio, porém a questão na AL também está muito equilibrada, pois, para ele, vai ser difícil para o PSB manter a aliança com o PMDB e o PT. “Não vai ser tarefa fácil, isso vai condicionar apoios futuros, inclusive na próxima eleição para governo do Estado”, explica.

“Ambos vão ter dificuldades, vão ter que negociar”, conclui.
 
Marília Domingues

Dilma e Aécio divergem sobre redução da maioridade penal


A redução da maioridade penal - dos 18 para os 16 anos - é uma das propostas que colocam em lados opostos os candidatos à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Aécio tem defendido abertamente a redução, em casos de crimes graves, cuja proposta, de autoria de seu candidato a vice, o senador Aloysio Nunes, tramita no Congresso Nacional.

O programa de governo de Dilma não menciona a questão, mas o governo federal tem se posicionado contra a proposta de Nunes. O site Muda Mais, que apoia a reeleição da candidata do PT, também manifestou-se contra, em uma mensagem publicada no último 12 de outubro, Dia da Criança.

A proposta de redução da maioridade penal tampouco é consenso entre especialistas. De um lado, há a ideia de que adolescentes entre 16 e 18 anos já têm discernimento para entender que estão cometendo crimes. Portanto, segundo os defensores da redução da maioridade, esses jovens devem ser punidos com prisão, de forma a evitar que eles cometam mais ações violentas.

De outro lado, há aqueles que acreditam que a redução da maioridade penal gerará ainda mais problemas à segurança pública, uma vez que encaminhar esses jovens para presídios, em geral precários, prejudicará a recuperação deles e sua reinserção na sociedade.

Defensor da redução da maioridade penal, o promotor Thales Cezar de Oliveira atua há 20 anos na 2ª Vara da Infância e da Juventude da cidade de São Paulo. “Cem por cento dos adolescentes que atendemos na promotoria têm exata noção daquilo que estão fazendo, de que estão cometendo crime. A conduta desses adolescentes não é fruto da pouca idade e sim de uma má-formação da personalidade desses jovens”, disse o promotor.

Oliveira reconhece que a situação dos presídios brasileiros não é propícia à recuperação dos detentos. No entanto, segundo ele, a prioridade é garantir a segurança das pessoas “honestas, decentes e trabalhadoras” que são “vítimas dos adolescentes que cometem crimes”. “Eu ainda prefiro pegar o indivíduo que praticou crimes graves e colocá-lo no sistema prisional, mesmo que seja um sistema prisional falido, para proteger esses cidadãos de bem.”

Por outro lado, a psicóloga Maria Helena Zamora, especialista em adolescentes infratores pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), acredita que a redução da maioridade penal terá resultados desastrosos. “Reduzir a maioridade penal é entupir as prisões, mais do que já são entupidas. A prisão não é nenhuma escola, a não ser a do crime. Ela não evita a reincidência e fomenta o ódio [do detento]. Colocar ali dentro pessoas que ainda não completaram seu desenvolvimento é o projeto que queremos para nossa adolescência?”, questiona.

Maria Helena lembra que, apesar de não responderem criminalmente pelos seus atos, os jovens não ficam impunes quando cometem infrações. De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), se o crime for cometido entre os 12 e 18 anos de idade, o infrator pode ser internado em uma unidade socioeducativa, por até três anos. “Não é verdade que eles ficam impunes. Muitas vezes a gente tem visto o ECA ser mais severo com os adolescentes do que a lei penal.”

Thales Oliveira ressalva, entretanto, que a redução da maioridade penal deve ser apenas a última medida de um pacote para reduzir a criminalidade entre os jovens, que incluiria investimentos na saúde, na educação, na cidadania, no saneamento básico e no apoio às famílias. “A redução da maioridade penal, por si só, não reduz criminalidade. Ela traz justiça”, disse.

Maria Helena discorda da redução da maioridade penal, mesmo que venha com a promessa de investimentos na garantia de direitos aos adolescentes, como as citadas por Oliveira. “Nós sabemos que isso [os investimentos sociais] não sairá do papel. A única medida que acabará sendo implantada, como sempre em questões de segurança pública, é a repressão”, afirmou a psicóloga.

com G1

Inusitado: Mulher quebra cofrinho e paga fiança de R$ 724 em moedas após ser presa


Uma vendedora ambulante de 50 anos pagou uma fiança de R$ 724 em moedas de R$ 0,25, R$ 0,50 e R$ 1 após ser presa suspeita de receptação de produtos furtados no bairro Caetano Filho, conhecido como "Beiral", no Centro de Boa Vista. A prisão ocorreu na segunda-feira (20) e nesta quarta-feira (22) o escrivão da Polícia Civil que atendeu a ocorrência, Waldir Freitas, falou ao G1 sobre o caso.

De acordo com ele, a mulher comprou edredom, pratos e bandejas inox por apenas R$ 20 de um homem apelidado de 'Urso' . "Ela conta que o indivíduo alegou que estava com fome e precisava vender essas coisas. Mesmo desconfiando que os produtos pudessem ser roubados ou furtados, a ambulante resolveu comprá-los por esse valor", disse.

Ainda de acordo com Freitas, a proprietária do edredom acionou a Polícia Militar ao passar por um imóvel no mesmo bairro e vê-lo estendido em um varal. "Ela disse que não comprou os produtos para revender, mas para uso próprio", acrescenta o escrivão.

A mulher ficou detida até as 21h do mesmo dia, quando parentes foram a sua casa e quebraram um 'cofrinho' de madeira onde estavam as moedas. "Eu e dois filhos dela contamos [as moedas]. Em dez anos de profissão, nunca havia passado por uma situação como essa", relata Freitas.

A suspeita foi liberada após pagar a fiança e responderá em liberdade por receptação. Em depoimento ao delegado Domingos Sávio, ela contou que já teve passagem na Justiça por tráfico de drogas, mas foi inocentada.

com G1

Grupo invade agência bancária e detona caixas eletrônicos na Paraíba


A Paraíba registrou, na madrugada desta quinta-feira (23), mais um caso de explosão a caixas eletrônicos. A ação de bandidos aconteceu na cidade de Capim de Mamanguape (Litoral Norte do estado, distante 41 km de João Pessoa).

De acordo com informações da Polícia Civil, quatro homens invadiram a agência bancária por volta das 2h e detonaram duas máquinas instaladas no local. A polícia ainda não sabe precisar a quantia roubada pelo grupo.

Após explodir os caixas eletrônicos, os indivíduos fugiram em um carro popular. Buscas foram realizadas nas imediações do local, mas nenhum suspeito foi localizado.

Uma perícia será realizada no posto bancário a fim de levantar pistas que possam levar aos suspeitos. A mesma agência já havia sido alvo de explosão a caixas eletrônicos meses atrás. O local passou por reforma e tinha voltado a funcionar há pouco tempo.

com Portal Correio

Idoso da PB compra 10 iPhones pela internet, mas recebe coco


Um idoso de 70 anos entrou para a lista das vítimas dos golpes na internet. Ele comprou dez celulares da marca iPhone do tipo 6 ( recém lançado) em um conhecido site de compras, mas recebeu em casa uma caixa contendo um coco e uma garrafa de refrigerante. O caso foi notificado nessa terça-feira (21), na 12ª Delegacia Distrital, no bairro de Manaíra, em João Pessoa. Pelos aparelhos, ele pagou o valor de R$ 18,1 mil, sendo que já havia depositado R$ 8 mil.

De acordo com Iumara Gomes, delegada titular de Defraudações de João Pessoa, o adolescente, filho do aposentado, viu a promoção dos aparelhos no site e conversou com o pai sobre o baixo custo e a rentabilidade que teriam com a compra.

“O pai viu o preço e comprou no dia 18 de outubro. No dia 20, quando a caixa enviada pelo Sedex e foi aberta, as pessoas encontraram um coco verde e uma garrafa pet de refrigerante”, revelou a delegada.

Segundo o delegado Lucas Sá, que vai investigar o caso, foi paga uma quantia de R$ 8 mil e a outra parte foi parcelada. “Para a compra ser efetivada e as pessoas receberem os Iphones 6 em casa, elas pagaram R$ 8 mil de entrada e parcelaram o restante do valor”.

O remetente forneceu um endereço falso como se morasse no município de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. O caso será investigado pela Polícia Interestadual.

com Portal Correio

PRESTÍGIO: Senado Federal terá seis paraibanos a partir de 2015


A Paraíba que é territorialmente um dos menores estados do Brasil, terá a partir de 2015 um prestigio antagônico à quantidade de habitantes: contará com seis representantes no Senado Federal.

Além do senador eleito José Maranhão (PMDB), de Vitalzinho (PMDB) e Cássio Cunha Lima (PSDB) que podem concluir os seus mandatos por mais quatro anos, o Senado Federal já conta com dois paraibanos Lindemberg Farias (PT) que é de João Pessoa e representa o Rio de Janeiro e de João Vicente Claudino que é natural de Cajazeiras e ocupa uma cadeira do Piauí. A Paraíba terá agora uma representação feminina: trata-se da senadora eleita no Rio Grande do Norte Fátima Bezerra (PT) que é natural de Nova Palmeira (PB).


Assim como Zé Maranhão, Fátima Bezerra (PT) disputou a única cadeira do Senado no vizinho Rio Grande do Norte e obteve sucesso nas urnas. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, com 100% dos votos válidos apurados, ela teve 54,84% dos votos válidos, o que equivale a 808.055 votos. A candidata Vilma Maria de Faria (PSB) foi a segunda mais votada com 43,23% dos votos válidos (636.896 votos).


O RN teve quatro candidatos ao Senado. Além de Fátima e Vilma, concorreram a uma vaga Ana Célia (PSTU) e Lailson de Sousa (PSOL). O candidato Roberto Ronconi (PSL) teve o registro da candidatura cassado no dia 22 de setembro após a renúncia do candidato a 1º suplente, Ricardo Farias, a menos de 20 dias das eleições.


Após a apuração, Fátima disse que “o povo do Rio Grande do Norte faz história neste momento ao eleger uma senadora de origem popular”. “A minha primeira palavra ao povo do Rio Grande do Norte é de agradecimento pela expressiva votação, por este gesto tão generoso que depositou na nossa luta. Isto aumenta mais ainda a nossa responsabilidade. Mas sempre digo que vou corresponder a esta confiança como sempre fiz, com seriedade, ética, compromisso. É um fato novo na política, uma quebra de paradigma. No nosso estado, o senado sempre foi ocupado por representantes das oligarquias, ex-governadores, ou políticos em fim de carreira. A minha vitória traz um fato novo que é eleger uma professora de origem modesta, que conseguiu ser deputada estadual e federal, e agora serei a senadora de todos, de todo o Rio Grande do Norte”, declarou.


PARAIBANA: Fátima Bezerra nasceu em Nova Palmeira, na Paraíba, e se mudou para Natal para continuar os estudos, no início da década de 70. Fátima é professora e pedagoga. Iniciou sua trajetória política quando era estudante na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Participou do congresso que marcou a reconstrução da UNE, em Salvador, e do Encontro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, realizado no Rio de Janeiro, que celebrou a volta de alguns exilados ao Brasil. Entrou para o magistério em 1980 e 1982 como professora da rede estadual e da prefeitura de Natal. Filiada ao PT desde 1981, Fátima Bezerra elegeu-se deputada estadual por dois mandatos, em 1994 e 1998. Ela exerce o mandato de deputada federal desde 2002, quando foi eleita a deputada federal mais votada do RN. Em 2005, foi presidente da Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados e é membro titular da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados desde o seu primeiro mandato federal.

Campanha


Desde o início da campanha e com a divulgação de pesquisas de intenção de votos, ficou claro que a disputa pela vaga do Rio Grande do Norte no Senado Federal ficaria entre Fátima e Vilma. Durante um bom tempo, Vilma liderou as pesquisas. Mas, nas últimas divulgações, já se previa um empate técnico, com vantagem para a candidata petista. Mesmo com essa bipolarização da disputa, a campanha no Rio Grande do Norte não foi de polêmicas.


Perfil Fátima Bezerra


Maria de Fátima Bezerra, ou somente Fátima Bezerra, se transferiu para a capital potiguar no início da década de 70, vinda de Nova Palmeira (PB), sua cidade de origem. Nascida em 1955, numa casa de nove irmãos, Fátima é professora e pedagoga, graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde iniciou sua trajetória política participando de movimentos sociais.Entre suas atividades de destaque à época, Fátima participou do congresso que marcou a reconstrução da UNE, em Salvador, e do Encontro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, realizado no Rio de Janeiro, que celebrou a volta de exilados ao Brasil. Entrou para o magistério em 1980 e 1982 como professora da rede estadual e municipal.


Fátima foi uma das fundadoras, vice-presidente e presidente, da Associação dos Orientadores Educacionais; secretária-geral da Associação dos Professores; e presidente – por duas gestões – do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, além de ser uma das fundadoras também do Fórum Estadual dos Servidores Públicos.


No ano de 1981 se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT). Já no ano de 1994 elegeu-se deputada estadual, por dois mandatos consecutivos (1994 – 1998). Na Assembleia Legislativa foi presidente da Comissão de Direitos Humanos e da Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Interior. Por sua atuação, recebeu do Comitê de Imprensa da Assembleia os títulos de Parlamentar do Ano de 1996 e de melhor Parlamentar da Legislatura 1995-1998.


Entre outras atividades exercidas por Fátima, está a atuação como representante do Legislativo potiguar no Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania e no Conselho Estadual do Meio Ambiente, além de ter sido delegada na IV Conferência Mundial sobre a Mulher (Beijing, 1995) e no I e II Fórum Social Mundial (Porto Alegre, 2001 e 2002). Fátima também participou do Encontro Internacional em Solidariedade às Mulheres Cubanas (Havana, 1998) e, integra o Diretório Estadual e a Executiva Nacional do PT.


Em 1996, Fátima disputou pela primeira vez a Prefeitura do Natal, onde não obteve êxito. Na ocasião, Wilma de Faria (PSB) saiu vitoriosa das urnas. O cenário não foi diferente no ano 2000, quando Fátima tentou novamente o executivo municipal e não foi eleita, sendo Wilma reeleita para novo mandato. No ano de 2002


Fátima iniciou seu mandato como deputada federal, reeleita em 2006 e 2010 – ano em que obteve a quinta melhor votação proporcional do país, com 220.355 votos.A deputada ainda disputou por mais duas vezes as eleições para assumir o Palácio Felipe Camarão. Uma em 2004 quando perdeu a eleição para Wilma de Faria (PSB) e outra em 2008 quando Micarla de Souza (PV) foi eleita prefeita do Natal.


Em setembro de 2011, a deputada, na época presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, reativou a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro e da Leitura. Nos quase três anos de retomada das atividades, a Frente vem realizando ações em prol de uma política pública em defesa do livro, da leitura e da biblioteca e da regulamentação via projeto de Lei do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) e do Instituto Nacional do Livro, Leitura e Literatura


No ano de 2012, Fátima vira coordenadora do Núcleo de Educação e cultura da Bancada do PT no Congresso Nacional. Durante sua gestão, Fátima trabalhou pela aprovação da PEC da Música, do Sistema Nacional de Cultura e do Vale Cultura e, que através de um cartão magnético pré-pago, válido em todo território nacional, no valor de 50 reais mensais, os trabalhadores de carteira assinada poderão ir ao teatro, cinema, museus, espetáculos, shows, circo ou mesmo comprar ou alugar CDs, DVDs, livros, revistas e jornais.


Já em 2013, a candidata assumiu duas relatorias na Comissão de Educação e de Cultura: Projeto de Lei 1321/2011, que cria o Fundo Nacional Pró-Leitura (FNPL), destinado à captação de recursos para atendimento aos objetivos da Lei nº 10.753, de 30 de outubro de 2003; e o Projeto de Lei 4534/12, que atualiza e institui a Política Nacional do Livro(PNL), definindo, portanto, o que é considerado livro no Brasil, incluído os digitais também.


Fátima trabalhou pela aprovação do novo Plano Nacional de Educação (PNE) ainda no primeiro semestre de 2014. O PNE apresenta as 20 metas para Educação que visam, entre outros objetivos, erradicar o analfabetismo e universalizar o atendimento escolar, com o aumento de vagas em creches, ensino médio, profissionalizante e universidades públicas.

com PB Agora

Decretada situação de emergência em 170 municípios da PB


O Governo do Estado editou novo decreto de Situação de Emergência, por um período de seis meses, em 170 municípios paraibanos afetados pela estiagem, a fim de que não haja interrupção na assistência dada as populações. O decreto está publicado na edição desta quarta-feira (22) do Diário Oficial.

A Situação de Emergência é válida apenas para as áreas dos municípios comprovadamente afetados pela escassez ou falta de chuva. Com o decreto, o Governo do Estado fica autorizado a abrir crédito extraordinário para atender às demandas existentes.

Para a decretar a Situação de Emergência o Governo do Estado levou em consideração a escassez de água no semiárido paraibano por conta das irregularidades das chuvas, que não foram suficientes para recarga dos mananciais e persiste até a presente data, causando danos à subsistência e à saúde.

De acordo com o documento, a estiagem prolongada tem gerado prejuízos importantes e significativos às atividades produtivas no Estado, principalmente à agricultura e à agropecuária dos municípios afetados, cabendo aos poderes públicos buscarem soluções para minimizar os efeitos da estiagem.

Segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), a capacidade máxima dos 122 açudes monitorados é de 3,7 bilhões de metros cúbicos d’água, mas o volume atual é de apenas 984,7 milhões de metros cúbicos d’água. Conforme os dados da agência, apenas três reservatórios estão transbordando; 58 reservatórios estão com capacidade armazenada superior a 20% do seu volume total; 34 em observação (menor que 20% do seu volume total) e 29 reservatórios em situação crítica (menor que 5% do seu volume total).

Ricardo realiza atos em cinco cidades do cariri e promete ampliar investimentos na região


O governador e candidato à reeleição Ricardo Coutinho (PSB) afirmou, na noite desta quarta-feira (21), durante a passagem da Caravana do Trabalho por Serra Branca, que nenhuma cidade do Cariri paraibano ficará sem estrada no seu governo. Ao lado do prefeito Dudu Torreão (PMDB) e das lideranças de oposição, o socialista participou de um comício relâmpago, que reuniu milhares de pessoas na Praça Joaquim Gaudêncio.

Em seu discurso, Ricardo pediu à população do Cariri para “fechar com o o 40” e contribuir para que o candidato do PSDB sofra uma grande derrota nas unas, no próximo dia 26. “Se o Cariri fechar com o 40, teremos uma grande vitória no próximo domingo. E eu tenho a convicção que isso vai acontecer, porque o povo não aguenta mais tanta mentira. A Paraíba não quer mais o retrocesso”, enfatizou o governador.

Assim como ocorreu nas cidades de Boa Vista e São João do Cariri, Ricardo aproveitou para pedir votos para a reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT), e citou algumas das ações do Governo Federal, que desde a época de Lula, vêm fazendo com que o Brasil melhore sua economia e estabeleça ações de inclusão social que estão reduzindo a miséria e garantindo uma melhoria na qualidade de vida dos brasileiros. 

O ato público contou também com a participação do ex-prefeito de Serra Branca, Zizo Mamede (PT), dos prefeitos Fernando Queiroz (PSB), de São José dos Cordeiros, Givaldo Limeira (DEM), de Coxixola, Josa (PSB), de Parari, Lucy Costa (PMDB), de Barra de São Miguel, Pedro Correia (PMDB), de Carnaúbas, Luiz Aires (PSB), de Cabaceiras, além de vice-prefeitos, vereadores e de dezenas de lideranças políticas do Cariri paraibano.

Após a passagem por Serra Branca, Ricardo Coutinho continuou o percurso pelas cidade de Sumé e Monteiro.

Paraíba Mix com Assessoria

Em Cajazeiras, Cássio recebe a adesão do ex-prefeito Carlos Rafael


Em Cajazeiras, penúltimo município a receber Cássio e sua caravana, na noite desta terça-feira (21), uma verdadeira multidão foi participar do comício que a Coligação “A Vontade do Povo” realizou na cidade. Cássio recebeu o apoio do ex-prefeito Carlos Rafael, que não votou com ele no primeiro turno, mas foi convencido pelo suplente de senador Deca do Atacadão a apoiar a candidatura do tucano.

Cajazeiras realizou um dos maiores comícios de sua história política. “Venho aqui para agradecer o apoio recebido no primeiro turno. Vencemos o primeiro e vamos vencer o segundo para acabar com a perseguição na Paraíba”, disse Cássio.

Prefeitos, lideranças políticas, ex-prefeitos de toda a região de Cajazeiras foram levar seu apoio ao senador Cássio. “Vim aqui anunciar meu apoio ao senador Cássio, porque a Paraíba não aguenta mais tanta perseguição ao sei povo”, disse Carlos Rafael.

Moveletro Rede Nordeste inaugura filial no município de Ouro Velho


O maior grupo de móveis e eletrodomésticos da região do Cariri, a MOVELETRO REDE NORDESTE, expande a sua área de atuação na região e inaugurou na manhã desta terça feira (21, mais uma unidade comercial que fica localizada na Rua Jacinto Dantas, no município de Ouro Velho).

A solenidade de inauguração teve presença de populares da cidade de Ouro Velho, e dos demais municípios circunvizinhos, que teve oportunidade de conhecer uma das mais modernas instalações.

O empresário José Ronaldo Chaves, Diretor Presidente do Grupo MOVELETRO/Rede Nordeste, disse estar surpreso quanto à quantidade de pessoas que foram prestigiar a solenidade de inauguração.

Com mais uma loja inaugurada, o Grupo Moveletro conta hoje com 28 lojas espalhadas pela Paraíba e juntando ao Grupo Rede Nordeste somasse 103.

Homem sem identificação é encontrado em estado de decomposição em lixão de cidade do Cariri


Nesta terça-feira (21), policiais militares lotados no município do Congo, no Cariri paraibano, encontraram um corpo em estado de decomposição no lixão da cidade. O cadáver, segundo os sinais e marcas apresentados, foi abandonado no local há aproximadamente uma semana. O corpo foi encontrado por volta das 16 horas desta terça-feira (21).

O homem morto foi visto inicialmente por trabalhadores da limpeza urbana do Congo, que imediatamente acionaram a Policia Militar.

Segundo informações apuradas, o homem assassinado pode ter sido vítima de espancamento. Policiais notaram que ele tem marcas de afundamento de crânio e pernas quebradas. Os buracos percebidos em seu corpo podem ter sido provocados pela ação de urubus, uma vez que o cadáver já está há certo tempo no lixão.

No local do crime podem ser vistas também marcas que sinalizam que o corpo foi arrastado para lá. Os indícios apontam que o homem pode ter sido espancado até a morte e depois levado para o lixão, afim de não deixar vestígios.

A identidade da vítima ainda não foi obtida. A polícia recebeu uma informação de que há um monteirense desaparecido, mas espera a conclusão do exame cadavérico para identificar concretamente a identidade da vítima.

com De Olho No Cariri

Sai mais uma pesquisa do Datafolha sobre a sucessão presidencial: Dilma 52% e Aécio 48%


Pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (22)pelo jornal Folha de São Paulo aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República:
- Dilma Rousseff (PT): 52%

- Aécio Neves (PSDB): 48%

De acordo com o Datafolha, na reta final da eleição, os candidatos continuam empatados, no limite da margem de erro, de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 20, o resultado foi o mesmo.

O Datafolha ouviu 4.355 eleitores no dia 21 de outubro em 256 municípios.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral.

Uol

Luan Estilizado aparece em vídeo da campanha de Aécio Neves


O cantor e sanfoneiro paraibano Luan Estilizado, aparece e vídeo do guia eleitoral do presidenciável Aécio Neves (PSDB).

Na gravação, cantar com outras celebridades da música a exemplo de Zezé de Camargo e Wanessa Camargo, Sandra de Sá, Fagner, Cesar Menoti e Fabiano, Bruno e Marrone, André Valadão, Tia Anastacia, Chitãozinho e Xororó, entre outros, uma versão da música ‘A Festa’, conhecida nacionalmente na voz de Ivete Sangalo.

Luan é filho do também sanfoneiro Amazan, e é natural de cidade de Campina Grande, no Agreste paraibano.


MaisPB