Polícia Civil encerra inquérito sobre a morte do vereador de Serra Branca


A Polícia Civil, por meio do Grupo Tático Especial – GTE da 14ª DSPC em Monteiro, coordenado pelo Dr. Gilson Duarte, e da Delegacia de Serra Branca, chefiada pelo Dr. Rodrigo Monteiro, encerrou, na madrugada desta quinta-feira, 17, o inquérito que apura o assassinato do vereador da cidade de Serra Branca, GERALDO CAETANO DE ARAÚJO, mais conhecido como “DÉA”, ocorrido no dia 21 de agosto de 2013.

Após quase sessenta dias de investigação, os Delegados de Polícia Civil Gilson Duarte e Rodrigo Monteiro apresentaram o resumo das investigações, onde se concluiu que o mandante do assassinato foi JOSÉ SANDRO DA SILVA, empresário, 36 anos de idade, natural de Inajá/PE, o qual utilizou-se do seu empregado LEANDRO GOMES TEIXEIRA (preso em Petrolina no dia 13/10, 22 ANOS DE IDADE, natural de Água Branca/AL, como intermediário e motorista do executor, que foi MARCELO FERREIRA DA SILVA, 23 anos de idade, natural de Mata Grande/AL.

MARCELO FERREIRA DA SILVA (preso em 16/10/2013 na cidade de Mata Grande/AL) chegou à cidade de Serra Branca no dia 20/08/2013, alugou um quarto na hospedaria em um Posto de Combustíveis e no dia seguinte, 21/08/2013, matou com vários disparos de arma de fogo GERALDO CAETANO DE ARAÚJO, mais conhecido como “DÉA”, utilizando-se de um revólver calibre 38   fornecido por JOSÉ SANDRO DA SILVA (preso em Recife/PE), tendo recebido pelo crime a quantia de R$ 1.000,00 (um mil reais) e mais uma pistola calibre .380.

A motivação do crime foi a insatisfação de JOSÉ SANDRO DA SILVA com a concorrência operada pela VÍTIMA e um sócio no ramo de funerárias e venda de planos assistenciais.

Foi afastada a participação do Policial Militar de Pernambuco, preso em Jataúba/PE, a despeito de se ter a informação o irmão dele recebeu a proposta para praticar o crime, e não o fez, motivo por que os Delegados que conduziram o inquérito solicitaram a soltura do policial ao Juiz de Serra Branca.

O Delegado de Polícia Civil, Dr. Gilson Duarte enfatizou o esforço de toda a equipe que trabalhou incessantemente durante o período, além de destacar que a 14ª DSPC encontra-se com aproximadamente 90% de resolubilidade dos crimes letais intencionais, resultado que ele atribui à competência da equipe policial civil da região.

Por sua vez, o Delegado Seccional, Dr. Cristiano Brito, parabenizou a equipe e disse que entende que a Polícia Civil fez seu papel e elucidou de maneira indubitável a participação de cada envolvido no assassinato.

Ao todo, durante a operação, foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária, diversos mandados de busca, houve a participação de mais de 50 policiais e contou-se com o apoio do Polícia Civil de Pernambuco, da PM de Pernambuco, através da CIOSAC, e da PM de Alagoas.


Ascom/4ªDRPC

Comentários
0 Comentários